Cumprindo com todas as expectativas, A Casa do Porco, restaurante do chef paulistano Jefferson Rueda, estreou na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo em 2019 na 39ª posição. O momento é histórico: pela primeira vez desde que o prêmio The World’s 50 Best, organizado pela revista britânica Restaurant foi criado, há 18 anos, apenas um brasileiro, o D.O.M, do paulistano Alex Atala, havia figurado no ranking. E a VemTambém esteve presente para conferir a carne de porco e outras delícias do restaurante paulista.

Nos últimos três anos, A Casa do Porco vinha conquistando posições cada vez mais prestigiosas. Em 2018, estrou na lista parcial da Restaurant em 79º. De 2016 para 2017, subiu do 24º lugar para o 8º na lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina e, no ano passado, ficou em 7º. O estabelecimento também faz parte da lista Bib Gourmand do prestigiado Guia Michelin, uma seleção de restaurantes com bom custo-benefício.

A Casa do Porco

Do focinho ao rabo, conheça o porco em todas as suas versões, sabores, cores e texturas”. É assim que o restaurante de Jefferson Rueda, aberto em 2015, se apresenta no centro de São Paulo. Desde sua inauguração, A Casa do Porco não caiu nas graças da crítica nacional à toa.

Enquanto esteve no comando do Attimo, entre 2012 e 2017, Rueda esteve na lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina por duas vezes (em 2013 e 2014) e recebeu uma estrela Michelin em 2015 (manteve-a até o ano seguinte).

 

Na Casa do Porco, o atendimento é feito por ordem de chegada, sem reservas. O cardápio, como o nome bem entrega, tem apenas carne suína como base para diversos pratos – do sushi de papada de porco pincelado com tucupi negro ao torresmo de pancetta de porco com goiabada picante e picles de cebola roxa.

 

Queda do D.O.M.

Até a edição de 2018, o D.O.M, do chef paulistano Alex Atala, era o único restaurante brasileiro a figurar entre os 50 melhores do mundo desde que o prêmio foi criado. Em 2012, ocupou o 4° lugar, mas nos últimos anos, Atala não só perdeu posições como também a única estrela Michelin que tinha em seu segundo restaurante, o Dalva e Dito.

A surpresa chegou na semana passada: pela primeira vez em 18 anos, o D.O.M apareceu na segunda metade da lista dos 100 melhores de 2019 divulgada pela Restaurant – da 30ª posição ocupada no ano passado, passou para a 54ª.

 

Confira o ranking: 

1. Mirazur, Menton (França)

2. Noma, Copenhague (Dinamarca)

3. Asador Etxebarri, Axpe (Espanha)

4. Gaggan, Bangcoc (Tailândia)

5. Geranium, Copenhagen (Dinamarca)

6. Central, Lima (Peru)

7. Mugaritz, San Sebastian (Espanha)

8. Arpège, Paris (França)

9. Disfrutar, Barcelona (Espanha)

10. Maido, Lima (Peru)

11. Den, Tóquio (Japão)

12. Pujol, Cidade do México (México)

13. White Rabbit, Moscou (Rússia) 

14. Azurmendi, Larrabetzu (Espanha)

15. Septime, Paris (França) 

16. Alain Ducasse au Plaza Athénée, Paris (França)

17. Steirereck, Viena (Áustria)

18. Odette, Cingapura (Cingapura)

19. Twins Garden, Moscou (Rússia)

20. Tickets, Barcelona (Espanha)

21. Frantzén, Estocolmo (Suécia)

22. Narisawa, Tóquio (Japão)

23. Cosme, Nova York (Estados Unidos)

24. Quintonil, Cidade do México (México)

25. Alléno Paris au Pavillon Ledoyen, Paris (França)

26. Boragó, Santiago (Chile)

27. The Clove Club, Londres (Reino Unido)

28. Blue Hill at Stone Barns, Pocantico Hills (Estados Unidos)

29. Piazza Duomo, Alba (Itália) 

30. Elkano, Getaria (Espanha)

31. Le Calandre, Pádua (Itália)

32. Nerua, Bilbau (Espanha)

33. Lyle’s, Londres (Inglaterra)

34. Don Julio, Buenos Aires (Argentina) 

35. Atelier Crenn, São Francisco (Estados Unidos) 

36. Le Bernadin, Nova York (Estados Unidos)

37. Alinea, Chicago (Estados Unidos)

38. Hiša Franko, Kobarid (Eslovênia)

39. A Casa do Porco, São Paulo (Brasil) 

40. Tim Raue, Berlim (Alemanha)

41. The Chairman, Hong Kong (China)

42. Belcanto, Lisboa (Portugal) 

43. Hof Van Cleve, Kruishoutem (Bélgica)

44. The Test Kitchen, Cidade do Cabo (África do Sul)

45. Sühring, Bangcoc (Tailândia)

46. De Librije, Zwolle (Holanda)

47. Benu, San Francisco (Estados Unidos)

48. Ultraviolet by Paul Pairet, Xangai (China) 

49. Leo, Bogotá (Colômbia)

50. Schloss Schauenstein, Furstenau (Suíça)  

 

Fonte: Gazeta do povo