Buscando facilitar o trecho entre Xangai e Fortaleza, passando por Paris, o Ceará negocia com operadores da China a entrada do Estado nas rotas turísticas feitas pelos chineses. A ideia principal é fazer o trecho Xangai-Paris-Fortaleza em menos tempo pela companhia Air France.

Eu já tenho propostas formais de operadores chineses, já com metas definidas e que estão dependendo de detalhes para a gente viabilizar. Hoje o voo seria pela Air France, fazendo Xangai-Paris-Fortaleza. Dois operadores já fizeram uma proposta e eu fiz visita e conversei com o outro. Esses três operadores juntos transportam para o exterior 200 milhões de pessoas por ano. Um operador é de internet, tem um que é misto e um é tradicional. Um dos operadores é do Governo chinês, o outro o governo é sócio e o terceiro é de mercado”, afirmou o secretário do Turismo do Estado, Arialdo Pinho.

Ainda segundo o secretário, as negociações com os operadores buscam priorizar as vendas do destino Ceará no mercado chinês, tanto as vendas pela internet como nas lojas físicas. Além disso, Arialdo explica que o turista chinês procura principalmente produtos de natureza. “Nós temos o Cariri e as Serras. Tem o Geopark que para eles é bastante interessante. E tem o pessoal ligado aos esportes de mar. A nossa ideia é tornar o Ceará porta de entrada dos turistas chineses no Brasil”.

Para os planos do Governo cearense se concretizarem, o titular da Pasta afirma que é preciso tornar o visto eletrônico para os chineses. “Ele ainda é um visto tradicional em que você precisa ir no consulado ou na embaixada. A gente tem que trabalhar isso e no futuro não ter visto. Nós temos também que vender a eles algo inédito, uma descoberta. E trabalhar ainda os preços das passagens para atrair esse público”.

Entre as iniciativas citadas, está a abrir cursos de mandarim, língua oficial da China, no Ceará. “O governador Camilo vai lançar neste ano um curso de mandarim nas escolas de línguas para a gente começar a formatar as pessoas. Vai ter a primeira turma de mandarim. Em cinco anos, teremos até 150 pessoas trabalhando com esse público”.

 

Novos trechos

O ano de 2019 iniciou com a confirmação do voo entre Madri e Fortaleza, pela Air Europa. “A companhia ainda está analisando se serão dois ou três voos semanais iniciais. O avião que eles vão usar é o Boeing 787-9, com capacidade para 332 passageiros. Esses voos serão lançados na primeira quinzena de março quando também inicia a comercialização. O início das operações está dependendo da Boeing porque houve um pequeno atraso na entrega das aeronaves. Estamos dependendo de disponibilidade de aeronaves”, confirmou o secretário.

Além de Madri, também está no radar da Setur o retorno dos voos para a Itália, destino que deixou de operar em 2017. “Eu não estou negociando com eles não (Air Italy). Eu estive conversando com eles e vi que não andava. Eu estou conversando com outra empresa para tocar a Itália. Eu acho que dependendo da capacidade de investimento do Estado a gente tem boas possibilidades”, afirmou.
 

Setur apresenta modelo de stopover para Air France-KLM

O secretário Arialdo Pinho informou que hoje (7) recebe representantes do grupo Air France-KLM para entregar a eles um modelo de stopover para Fortaleza. “Eu vou apresentar um modelo para ver se eles aprovam. Eles têm uma reunião aqui em Fortaleza. Nós estamos desenvolvendo tudo, como aplicativos. Eu tenho que entregar a peça funcionando. O turista que chegar a Fortaleza vai solicitar, por exemplo, um guia turístico. Tem os roteiros, tem os descontos de hotelaria e de restaurantes”.

De acordo com ele, já existem interessados em operar este modelo. “Já tem um ‘bocado’ de gente interessada em tocar isso. Nós não vamos tocar esse projeto, não é coisa de secretaria. Tem várias pessoas do ramo que estão interessadas em fazer isso, como a ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), guias, restaurantes locais”.

Além disso, o secretário afirmou que há estudos da Setur para oferecer subsídios para as operadoras de cruzeiros. “O trabalho que a gente quer fazer é um subsídio para colocar navios aqui. A intenção é que em 2022 a gente tenha 40 navios com 100 mil pessoas no Ceará com embarque e desembarque. Hoje, não fica passageiro porque não tem Receita Federal e Polícia Federal. A gente quer que passe o dia e que fique pelo menos 10% e suba 10%. Existe um plano sim e já me apresentaram e estamos conversando com órgãos do governo”. As negociações da Setur também giram em torno de atrair novas redes de hotéis para o Ceará.

Eu estive agora em Madri e apresentei a opção para um hoteleiro que quer fazer um grande hotel. Eu recebi uma proposta nesta semana de um hoteleiro português que quer fazer um hotel no Cumbuco. Já passei para o governador”, conclui o secretário.