Fortaleza entra na briga pela quarta principal porta de entrada de estrangeiros no País em 2019. Isso por que, o número de passageiros internacionais tem aumentado consideravelmente nos últimos meses. Em novembro, a movimentação internacional duplicou no aeroporto da capital.

Conforme dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no mês passado, o Aeroporto Internacional Pinto Martins deslocou cerca de 45,2 mil viajantes. O número representa um crescimento de mais de 104% comparando com o mesmo período de 2017, quando passaram pelo terminal 22,1 mil viajantes de/para o exterior. Já o Aeroporto de Recife movimentou 37,5 mil viajantes, alta de 10,9% em relação a novembro de 2017, e o de Salvador com 29,5 mil viajantes, com crescimento de 7,5%.

Aquém da disputa regional, Fortaleza tem se destacado no cenário nacional pelo alto potencial de crescimento nas rotas internacionais. Segundo dados consolidados da Anac, em outubro, o Aeroporto de Fortaleza figurou apenas na nona colocação no País. De janeiro a outubro deste ano, a cidade movimentou cerca de 290 mil passageiros internacionais.

Em primeiro, está o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, com 11,9 milhões de viajantes. Em seguida, aparecem Galeão, no Rio de Janeiro (3,6 milhões), Viracopos, em Campinas (505 mil), Confins, em Belo Horizonte (498,7 mil), Recife (455,6 mil), Porto Alegre (429,1 mil), Brasília (387,8 mil) e Salvador (330,4 mil).

Vale destacar que o Aeroporto Internacional Pinto Martins recebeu 111 vôos internacionais neste ano, 51 a mais do que em igual período do ano passado, o que representa um crescimento de 85%. Este foi o maior crescimento registrado entre as capitais brasileiras neste período, segundo aponta levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), com dados da Anac. Além disso, as rotas vindas de Paris (França), Amsterdã (Holanda), Frankfurt (Alemanha) e Lisboa (Portugal) capilarizam a conectividade do Brasil com países do continente Europeu e transformam a capital do Ceará em um importante hub para os turistas internacionais que vêm da região com destino ao Brasil.